2 de julho de 2008

Como não ser retrógrada

Parece que Manuela Ferreira Leite defende que casais inférteis e de idade avançada não devem poder casar-se.
Segundo a nova Presidente do PSD, o Estado não tem que conceder o direito ao casamento a quem não vai "procriar". O casamento serve unicamente para constituir família e por família entende-se unicamente ter filhos. As pessoas casam-se para ter filhos. Quem não vai ter filhos não deve poder casar-se. É lógico!

O mais fantástico é que MFL começou a sua resposta à pergunta de Constança Cunha e Sá sobre os casamentos entre homossexuais dizendo "Eu não sou retrógrada...". Faria se fosse!!

(DN)

9 comentários:

psergio57 disse...

Esta MFL é mais uma matiz do cinzentismo deprimente que caracteriza os nossos políticos. Nada de muito importante a separa do PS socrático a não ser que as fúria privatizadora em sectores como a Saúde e a Educação seria mais acelerada. E quem pensa ela que engana com estes súbitos frémitos de 'sensibilidade social'? Sem nada concretizar lá foi sacudindo a água do capote (e a responsabilidade do Estado) atirando a resolução do problema para as ONG's e IPSS's.

psergio57 disse...

Oops. Onde se lê 'uma matiz' leia-se 'um matiz' pois o nome é masculino. E o erro de concordância em 'as fúria privatizadora' também não 'ta´com nada. Enfim mas o essencial do comentário mantêm-se. MFL sucks!

Luís Nogueira disse...

"Manuela Ferreira Leite defende que casais inférteis e de idade avançada não devem poder casar-se.
Segundo a nova Presidente do PSD, o Estado não tem que conceder o direito ao casamento a quem não vai "procriar"."

Cara Ana Rita, ambos sabemos até onde MFL queria chegar. Agora claro, se queremos entrar pela demagogia ou pelo lamentável aproveitamento político, levado a cabo pelo tipos do costume, já se sabe...

Ana Rita Ferreira disse...

caro luís, estava a ser irónica, claro está. estava a pegar nas palavras de manuela ferreira leite e a dar-lhes uma leitura possível - que ela obviamente não dá - precisamente para pôr a nu os seus argumentos vazios.

Luís Nogueira disse...

Argumentos vazios... lol De facto, orbitamos em esferas diferentes... :)

Ana Rita Ferreira disse...

Caro Luís, dizer que o casamento tem como fim a procriação é, para mim, um argumento mais do que vazio, dado o efectivo ridículo. E a respeito o qual só me dá vontade de ironizar. Quem acha que tal argumento é sólido e verdadeiro não deve efectivamente gostar do que digo, mas já não acredito que haja muita gente em Portugal a considerar que nos casamos apenas com o objectivo de "procriar"! Felizmente! Se MFL pretende manter a sua posição a respeito do casamento homossexual, é melhor arranjar outra base justificativa, porque esta já ninguém se dá ao trabalho de demolir, pois só dá azo a piadas...

Luís Nogueira disse...

Cara Rita. Percebes-te tudo ao contrário. Nunca defendi a instituição do casamento, apenas como mera função reprodutora.
.
Quanto a MFL, tem direito à sua opinião. Mas atenção. A opinião de um militante, ainda que presidente, não vincula um partido inteiro. Logo os receios à esquerda são infundados e são mero aproveitamento político.
.
Contudo devemos registar, que a pergunta por parte de Constança Cunha e Sá foi claramente uma rasteira. Estavamos a falar sobre problemas económicos e de repende sai este tipo de pergunta.
.
Poderia ter falado sobre o Tratado de Lisboa. Sobre os problemas gravissimos na Justiça ou na Agricultura. Sobre os Impostos. Enfim...
.
Todos sabemos que o casamento entre homosexuais, não é neste momento uma prioridade legislativa. No imediato importa dinamizar a economia, criando os 150 mil postos de trabalho ou mais, que o "Engº" Sócrates prometeu, mas que muito provavelmente nunca irá cumprir, fruto da alta taxa de desemprego que é bem o sinónimo de uma "governação falhada"...

kruzerskanhoto disse...

A paneleiragem que faça o que quiser com o cú tem direito a isso. Tanto como a MFL a ter a opinião que quiser. Lamentavelmente vivemos numa ditadura do politicamente correcto onde não se pode criticar larilas nem ciganos.

psergio57 disse...

O deputado Manuel Allegro também acha que esta questão fracturante é um 'modismo'... não admira, ele gosta mesmo é de matar animais indefesos, como bom marialva que é...